Crimes Famosos

7 de julho de 2010

Fonte:Wikipedia
As diferentes manifestações do lado mais sombrio e violento do ser humano.
Na década de 1970, alguns casos ganharam as atenções do país, especialmente o assassinato da socialite Ângela Diniz pelo namorado Doca Street, cujo julgamento foi acompanhado de perto por milhões de brasileiros. Mas os crimes capazes de chocar e fascinar toda a população pela simples brutalidade de sua natureza explodiram mesmo a partir dos anos 1990, quando tornou-se mais comum histórias de homicídios e abusos cometidos por psicopatas cada vez mais perversos.
Um caso exemplar foi o do cacique caiapó Paulinho Paiakan, que torturou e estuprou uma jovem estudante branca em 1992. Herói dos ambientalistas de então, Paiakan viu a notícia de seu crime chegar ao país no exato momento em que líderes de todo o mundo se encontravam no Rio para discutir questões ambientais na Eco 92.
Comoção muito maior provocou o assassinato da jovem atriz Daniela Perez, furiosamente estocada pelo ator e colega de novela Guilherme de Pádua e sua mulher Paula Thomaz. Com uma tesoura e uma chave de fenda, os psicopatas ceifaram a vida de Daniela em janeiro de 1993.
Cinco anos mais tarde, a polícia de São Paulo prenderia o motoboy Francisco de Assis Pereira, o maníaco que violentava e matava mulheres no Parque do Estado. Após negar, em suas primeiras declarações, ser o autor dos crimes, o maníaco do parque admitiu ter assassinado nove mulheres. A confissão, estarreceu o país.

                                           
                                                                Imagem do Google
A perplexidade e a sensação de insegurança voltaram a assombrar os brasileiros em novembro de 1999, quando o estudante de medicina Mateus da Costa Meira, de 24 anos, invadiu uma sala de cinema do Morumbi Shopping, em São Paulo, e disparou a esmo contra a platéia. Três pessoas morreram e cinco ficaram feridas.
Tão desajustada quanto Mateus era a estudante de direito Suzane von Richthofen, que em 31 de outubro de 2002 abriu a porta de casa para que o então namorado, Daniel Cravinhos, acompanhado do irmão, Cristian, entrasse no quarto de seus pais e os assassinasse a golpes de barras de ferro. Quatro anos depois, Suzane e tentou convencer a todos que era uma menina perturbada. Ela tentava evitar uma condenação judicial mais rigorosa.
Outro crime monstruoso a paralisar o Brasil foi o assassinato da menina Isabella Nardoni, morta em 2008, aos 5 anos de idade, após ser espancada e jogada da janela de seu apartamento, no 6º andar. Em vez de filhos matando pais, foi o pai da menina, Alexandre Nardoni, e sua mulher Anna Carolina Jatobá, que atiraram a criança para a morte, segundo os laudos da polícia.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

  © Ourblogtemplates

Back to TOP