Conselho de Turismo - Ba e a carta aberta

20 de janeiro de 2012

Fonte G1
CBTur considera que 'já foram ultrapassados todos os prazos de tolerância'. Há cinco anos estudo do Conselho já apontava os problemas da capital.


Imagem Google

Empresários do Conselho Baiano de Turismo (CBTur) voltam a pedir que o prefeito de Salvador, João Henrique, tome medidas urgentes para recuperar os pontos de maior interesse turístico da capital. Em uma carta aberta ao prefeito e assinada pelos representantes das entidades de todos os segmentos do turismo na quinta-feira 19/01/2012, o Conselho diz que "já foram ultrapassados todos os prazos de tolerância para ação que melhore a situação da cidade”.
Há cinco anos um estudo do Conselho já apontava os problemas de Salvador. A carta fala ainda da decepção dos segmentos de turismo com a administração municipal. Como representante das empresas do setor de turismo no estado, o Conselho pede atenção especial aos sete pontos de maior interesse para moradores de Salvador e turistas: Parque do Abaeté, Farol da Barra, Complexo do Contorno, Comércio, Península de Itapagipe, Centro Histórico, Dique do Tororó e Baía de Todos os Santos. O CBTur pede ainda que o processo de recuperação desses pontos seja iniciado o mais rápido possível devido à proximidade de eventos importantes para a capital como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo.
O secretário municipal de Serviços Públicos, Marcelo Abreu, respondeu a algumas das críticas feitas pelo Conselho de Turismo. Segundo ele, a prefeitura tem se empenhado em manter limpos os pontos turísticos de Salvador. No caso das praias, ele disse que são entregues limpas todas as manhãs. Disse também que a prefeitura tem investido muito em iluminação para receber os moradores e visitantes. Ele ainda reclamou do vandalismo, que causou prejuízos de R$ 3 milhões para recuperar a iluminação pública, além da destruição das lixeiras espalhadas pela capital.
Confira a carta na íntegra:
Ao

Excelentíssimo Senhor

Dr. João Henrique de Barradas Carneiro
Prefeito de Salvador

Excelentíssimo Senhor Prefeito,
Este CBTur - Conselho Baiano de Turismo, integrado pelas entidades representativas de todos os segmentos do turismo baiano, na legitimidade de sua atuação, realizou assembléia plena em que decidiu, por unanimidade absoluta, encaminhar-lhe esta "CARTA ABERTA", por entender que já foram ultrapassados todos os prazos de tolerância capazes de resistir a necessidade de uma afirmação incisiva, com respeito ao estado em que se encontra a Cidade do Salvador.
Senhor Prefeito, um apenas superficial exame na situação da capital baiana facilmente exibe uma condição de deterioração dos seus principais atrativos, absolutamente distante de iniciativas reais que lhe possam indicar caminho para solução. E é imperioso verificar que, lamentavelmente, a espera de providências chega a beirar os contornos da leniência, quando verificamos que já nos encontramos nos estertores da sua duplicada administração.
No entanto, vale aqui reavivar a sua memória, para remontar a reunião que provocamos ainda nos instantes iniciais da sua primeira gestão, em que o seu entusiasmo extrapolou ao melhor do nosso otimismo. Naquela oportunidade, quando nos foram acenados apenas alguns poucos 20 a 30 minutos para o encontro - mas que ultrapassou às 3 horas de discussões - Vossa Excelência manifestou algumas idéias que ainda calam em nossa consciência. Como se segue:
- Ao projetar imagens do que seriam propostas para as novas barracas da nossa Orla, foi absolutamente afirmativo ao assegurar que - "...iria fazer da Orla de Salvador mais bonita do que a de Miami!!!...".
- E, antes da finalização e como fecho do encontro, dirigiu-se para o seu "staff" presente e foi taxativo ao determinar que - "... queria que fosse assegurada a realização de uma reunião daquela todos os meses!!!...".
- Ainda não será demasia reviver a sua impetuosidade, quando fez editar Decreto de Desapropriação de todo o espaço compreendido entre a Boca do Rio e a Praia de Jaguaribe.
Desalentador é testemunhar que, decorridos sete anos daquele momento esperançoso, nenhuma daquelas profecias se consumou, porque foram esquecidas. Mais ainda, que somente viemos a lograr um novo encontro já no final do ano que se encerrou, mesmo assim depois de dois adiamentos e, por fim, ao ser confirmado, não tivemos a ventura de contar com a sua presença.
Senhor Prefeito, investimo-nos dessa responsabilidade pela condição real que nos configura como representantes de muitas dezenas de milhar de empresas em todo o Estado que, pela multiplicação natural, nos leva a responsabilidade de falar em nome de centenas de milhar de empresários e profissionais. E, exatamente nos legitimamos na representatividade, pela natureza da população que nos proporciona sombra, como parcela ponderável que conduz periodicamente o processo eletivo em Salvador e na Bahia.
Porque, com uma mera visualização do mapa da cidade, entristece-nos o estado em que se encontram os principais atrativos da preferência de nativos e visitantes, foco diário da análise dos nossos veículos de comunicação. E não se admita que o fazem por motivação político-ideológico, uma vez que constituem a unanimidade desse órgãos, a protestar pela superveniência de realizações.
Valem também muito mais ainda as manifestações quase diuturnas dos que nos visitam que, mesmo com a empolgação que contempla Salvador pela sua especial magia, denunciam-se surpreendidos com a situação de descaso em que se encontra a totalidade dos sítios mais procurados.
É-nos indispensável, por oportuno, a constatação de que estamos sendo compensados pelo êxito na realização de eventos de natureza vária, fato que tem assegurado um nível de ocupação razoável. Porque os sinais que nos acena o provável fluxo de visitantes não produzem otimismo quando a situação nas próximas temporadas. Esta iniciativa faz-nos visualizar, portanto, a possibilidade de que, no momento estratégico em que nos encontramos, em virtude da realização já bem próxima de tão importantes acontecimentos - como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo - pelo menos seja iniciado um processo de recuperação dos nossos muitos pontos de atração.
Se quisermos ser mais precisos, basta remontar a relação dos nossos "7 PONTOS MÁGICOS" de Salvador, que ajudamos a eleger : 1. Parque do Abaeté; 2. Farol da Barra; 3. Complexo do Contorno / Comércio; 4. Península de Itapagipe; 5. Centro Histórico; 6. Dique do Tororó; 7. Baía de Todos os Santos.
Para a configuração de como estão degradados esses sítios nem é necessário muito esforço de imaginação. Bastante que anexemos cópia do Relatório do FAMTUR de Avaliação que realizamos, por nossa iniciativa, há 5 anos.
A apreciação de relatório sobre os "SETE PONTOS MÁGICOS DE SALVADOR", realizado pela própria SALTUR, no qual também aponta os problemas e soluções possíveis através de cada Secretaria, facilmente então se pode deduzir a gravidade do quanto reclamamos.
Como também do plano"Diretrizes Estratégicas para Promoção de Salvador e Entorno, elaborado pelo CBTUR /CLUSTER também em vosso poder, o qual foi muito pouco utilizado, apesar de dispêndio de tempo e valores da iniciativa privada.

Com a juntada dos 03 (três)documentos, Senhor Prefeito, estamos convencidos de que cumprimos com o dever que nos impõe a responsabilidade.

Resta-nos, por fim, um fio de esperança de que, com esta nossa contribuição, ainda vejamos o início de ações concretas, reais e objetivas.
Para o que, como sempre, estamos a disposição de Vossa Excelência se necessário o nosso concurso, momento em que aproveitamos e convidamos para um novo FAMTUR de avaliação dos referidos pontos, com a iniciativa privada, prefeitura e imprensa.
Permita-nos, também, que reiteremos a Vossa Excelência, o testemunho do nosso melhor apreço.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

  © Ourblogtemplates

Back to TOP