Estupro coletivo em festa com mortes na PB

16 de fevereiro de 2012

Fonte G1
Polícia Civil identifica cinco vítimas de estupro em festa com mortes na PB.
Delegado apontava seis vítimas antes de consolidar depoimentos. Segundo delegado regional, houve confusão com nome de uma das vítimas.
Após a consolidação dos depoimentos dos dez suspeitos de envolvimento em uma festa que terminou com um estupro coletivo e duas mortes em Queimadas, na Paraíba, o delegado regional de Campina Grande, André Rabelo, informou que o inquérito do caso totalizou cinco, e não seis estupros, conforme a Polícia Civil havia divulgado antes. Segundo o delagado, houve um engano no levantamento das vítimas porque os suspeitos usavam dois nomes diferentes para se referir a uma mesma pessoa. "Gostaria até de esclarecer que havia nesse apanhado de informações algumas dúvidas quanto a essa sexta vítima. Na verdade, se tratava de Ju, que é a própria Isabela, então foram cinco vítimas da violência sexual", explicou.
Segundo André Rabelo, as dez pessoas ouvidas pela Polícia Civil citam a professora Isabela Pajuçara Frazão Monteiro, de 27 anos, por dois nomes diferentes (Isabela e Ju), o que levantou suspeitas de que houvesse uma sexta mulher envolvida nos abusos sexuais. Conforme a delegada Cassandra Duarte, que interrogou os presos, ela e a recepcionista Michele Domingues da Silva, de 29 anos, foram executadas porque reconheceram os agressores.

Imagem Google

De acordo com a Polícia Civil, a venda usadas nos olhos de uma das vítimas se soltou e ela percebeu que estava sendo violentada por um amigo. As duas mulheres teriam sido colocadas na carroceria de uma caminhonete. Uma delas, Michele, conseguiu pular do veículo em movimento e caiu ao lado de uma igreja, onde foi encontrada morta a tiros.
"Minha filha se jogou ao lado da igreja. Ela morreu para fazer justiça. Se não fosse daquela maneira, a justiça não teria sido feita. Talvez a gente não tivesse nem encontrado o corpo dela, nem de Ju", disse a mãe de Michele, Maria José Silva. Já a mãe de Isabela, Maria de Fátima Frazão, diz conviver com uma dor insuportável. "Meu coração de mãe está muito sofrido, porque a gente cria com tanto amor, tanta dedicação, tanto respeito e vê uma injustiça dessa", relatou.

Imagem Google

Conforme a delegada Cassandra Duarte, os suspeitos revelaram que várias convidadas da festa chegaram a ser violentadas mais de uma vez por homens diferentes. Sete adultos e três adolescentes estão detidos por envolvimento no estupro coletivo e nas mortes. Por questão de segurança, os homens foram transferidos para a penitenciária de segurança máxima PB1, localizada em João Pessoa. De acordo com o diretor do presídio, capitão Sérgio Fonseca, eles serão mantidos em um setor separado por cinco dias e depois serão integrados ao convívio com os demais detentos.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

  © Ourblogtemplates

Back to TOP