Governadora pede a castração dos agressores de indiana

31 de dezembro de 2012

Fonte G1
 

Ativista indiana reza após cerimônia de cremação do corpo de vítima de estupro
Ativista indiana reza após cerimônia de cremação do corpo de vítima de estupro (Dibyangshu Sarkar/AFP)

A governadora do estado indiano de Tamil Nadu, J. Jayalalithaa, pediu nesta terça-feira a castração dos agressores sexuais de uma jovem indiana, após sua morte no sábado. O estupro coletivo de que foi vítima revoltou a população da Índia. "Vamos pedir que a lei tenha emendas e passe a permitir a castração química dos estupradores", disse Jayalalithaa em comunicado.
A chefe do governo regional também propôs o início de um mecanismo de julgamentos rápidos para esse tipo de crime. Ela se mostrou partidária de que "se revisem os casos de assédio sexual que continuam pendentes nos tribunais, para que se acelerem os processos e se faça justiça o mais rápido possível".
A declaração ocorre após a imprensa local publicar na segunda que o Partido do Congresso, de situação, estuda a aprovação de uma lei que permita a castração dos violadores em determinados casos. A Índia permanece comovida pelo caso de estupro, há 15 dias, de uma jovem por seis homens quando voltava para casa em um ônibus do qual os agressores a jogaram em movimento, o que a deixou em estado grave.
Após ser operada várias vezes em Nova Délhi, a jovem, de 23 anos, foi transferida a um hospital de Cingapura, onde morreu. O fato gerou uma onda de indignação sem precedentes na Índia, onde nas últimas duas semanas houve muitas manifestações de protesto contra a falta de ação policial em defesa de mulheres que sofrem assédio sexual.
Nesta terça, a polícia prendeu um homem que tentava colocar uma bomba de fabricação caseira perto da casa de um dos acusados do estupro coletivo contra a jovem. O suspeito de 37 anos foi detido perto do Campo Ravi Dass, uma favela ao sudoeste de Nova Délhi, onde moravam quatro dos seis acusados. Os outros dois moravam nas proximidades da capital indiana.

Suspeitos de estuprar indiana responderão por assassinato

Centenas manifestam em Nova Délhi por melhorias nos direitos das mulheres

Protesto em Nova Délhi pela segurança das mulheres


As autoridades indianas acusaram formalmente por assassinato os seis homens suspeitos de ter participado de um estupro coletivo brutal contra uma estudante de 23 anos. A jovem morreu na sexta-feira, aumentando o debate nacional sobre a violência contra as mulheres na Índia. 
Neste sábado, centenas de indianos foram às ruas da capital Nova Délhi para exigir melhorias nos direitos das mulheres. A estudante estava internada em um hospital de Cingapura, onde os médicos tentavam tratar as lesões decorrentes do estupro e do espancamento sofrido no dia 16 de dezembro dentro de um ônibus. A jovem chegou a ser submetida a três cirurgias. O corpo deve ser levado de avião de volta à Índia ainda neste sábado.
Se preparando para uma nova onda de protestos, as autoridades indianas mobilizaram milhares de policiais, fecharam dez estações de metrô, e veículos foram proibidos de passar por algumas estradas principais no coração de Nova Délhi, onde manifestantes convergiram desde o ataque para protestar. Centenas de pessoas manifestam pacificamente na manhã de sábado.
Estupro - A estudante de medicina, de 23 anos, foi espancada, estuprada por uma hora e jogada para fora de um ônibus em movimento em Nova Délhi, há duas semanas. Ela foi levada para um hospital em Cingapura já em estado crítico. A intensa cobertura midiática do ataque e o uso de redes sociais para galvanizar os protestos forçaram os políticos a repensar o tratamento de mulheres no país.
A maioria dos crimes sexuais na Índia não são relatados, e muitos infratores ficam impunes, e as rodas da justiça giram devagar. O Escritório Nacional de Registro de Crimes revelou em 2011 que, a cada 20 minutos, uma mulher é atacada sexualmente na Índia. No entanto, o autor do crime só é condenado em um a cada quatro casos. Os motivos são negligência e corrupção - o que explica a atual onda de indignação popular.
Ainda segundo os dados oficiais indianos, os casos de estupro aumentaram quase 875% nos últimos 40 anos na Índia, passando de 2.487 em 1971 para 24.206 em 2011. Apenas na capital, 572 casos foram registrados no ano passado e mais de 600 este ano, segundo a rede CNN.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

  © Ourblogtemplates

Back to TOP