Mulher agredida em evento no Teatro - Salvador/Ba

4 de março de 2013

Fonte G1Bahia
Uma mulher registrou queixa na polícia, em Salvador, relatando ter sido agredida no rosto por um segurança na noite de sexta-feira (1º), após um evento cultural do qual participou no centro da capital baiana. Segundo Roberta Nascimento, tudo aconteceu ao final do lançamento de uma exposição que ocorreu na Galeria de Arte da Acbeu, no Corredor da Vitória.
agressão (Foto: Imagem/TV Bahia)

A atriz relata que como o evento já havia acabado, o segurança da instituição estava encarregado de encaminhar as pessoas para fora do local. No entanto, Roberta diz que o funcionário agiu com agressividade quando a companheira dela, Talita Andrade, que a acompanhava, disse que queria usar o banheiro antes de ir embora. Talita afirma que enfrentou o segurança, afirmando para ele que iria usar o banheiro, mesmo que ele tivesse tentando impedi-la.
"Ele não me deixava ir ao banheiro, dizendo que já estava fechado. Deixei ele falando e segui para o banheiro. Lá dentro tinham amigas minhas, ou seja, não estava fechado", relata. Nesse momento, ela diz que formou-se uma confusão na porta do banheiro. Ela saiu para ver o que estava ocorrendo e diz ter encontrado o segurança já exaltado também porque um rapaz "tomou partido" da situação dela. Nesse momento, segundo elas, Roberta foi atingida por um murro no rosto.
As duas estiveram na tarde deste sábado (2), na 14ª Delegacia, no bairro da Barra, depois foram até o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para realizar exame de corpo de delito. Na noite de sexta-feira, o caso foi levado à 1ª Delegacia, nos Barris. O segurança acusado não foi localizado. Isabela Nunes, gestora da galeria de arte da Acbeu, disse por telefone que ocorreu uma agressão mútua. Além disso, afirma que a instituição arcou com todas as despesas médicas da jovem, que foi atendida no Hospital Português.
"Eu fui agredida pelo segurança, simplesmente pelo fato de minha companheira querer usar o banheiro. Segundo ele, a galeria estava fechando. As pessoas tinham que ir embora e estava proibido usar o banheiro a partir daquele momento. Só que tinham outras pessoas dentro do banheiro. Esse cara já foi socando um menino que falou para a gente entrar, que foi defender a gente. Já foi distribuindo socos para todos os lados e um deles foi no meu rosto", conta Roberta.

agressão (Foto: Imagem/TV Bahia)

"A maneira como ele falou que [o local] estava fechando já foi violenta, não foi tranquila. Tanto é que quando ela foi para o banheiro, ele foi atrás tentando impedir ela corporalmente. Segurança não pode tocar, principalmente mulher", diz Roberta.
"Por estar em um espaço privado de uma instituição cultural, em momento nenhum em fiquei preocupada com algum tipo de agressão por parte da segurança. Então, me portei de uma maneira que retribuí, de certa maneira, a agressão que ele veio. Porque eu sabia que verbalmente a gente podia se agredir sem acontecer uma agressão física. E para minha surpresa, não demorou nem muito. Foi simplesmente eu 'peitar' porque eu sabia que ele estava mentindo, ele dizia que o banheiro estava fechado, e eu tinha informações, por ter amigas dentro do banheiro, que o banheiro estava aberto, eu simplesmente desrespeitei e continuei andando. E aí nisso deu brecha pra ele vir com agressão muito mais violenta, que foi todo o desenrolar, murros, pontapés, empurrões", afirma Talita.
Um homem que também participava do evento, e prefere não ser identificado, relata que levou Roberta até o hospital com um ferimento que parecia ser muito grave no olho, o que provocou sangramento intenso. Ele diz que estava no banheiro com o filho e quando saiu, já viu a jovem caída no chão e sangrando muito. "Realmente, o evento já havia acabado. A exposição acabou por volta 22h, o ocorrido foi umas 22h20. Eu fiquei lá mais tempo esperando um amigo para me buscar e o segurança estava querendo, pedindo que as pessoas saíssem. Eu pedi para ir ao banheiro com meu filho. Nada justifica um murro, mas o enfrentamento ao segurança, pode ter gerado uma reação", diz. O rapaz afirma que o golpe quebrou o óculos da jovem, o que intensificou a gravidade do ferimento. "Tive medo de ter entrado vidro no olho dela", relata.
Nota oficial
Neste domingo (3), a instituição divulgou nota oficial lamentando o ocorrido. Veja na íntegra:
"Associação Cultural Brasil Estados Unidos-ACBEU lamenta profundamente o incidente ocorrido nas dependências da galeria de arte localizada em sua unidade do Corredor da Vitória, na noite da última sexta-feira, dia 1°, e repudia veementemente a resolução violenta de conflitos e qualquer tipo de discriminação contra a livre orientação sexual de cada um, entendendo tratar-se de um direito individual que merece o mais absoluto respeito.
A ACBEU já iniciou a apuração detalhada do incidente, e está entrando em contato com as vítimas, assegurando que não poupará esforços para minimizar o sofrimento e a reparação dos prejuízos causados. Tão logo essas fatos sejam apurados, serão prestados novos esclarecimentos à sociedade.

       

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

  © Ourblogtemplates

Back to TOP